fbpx

+55 11 3258-1706

Central de Atendimento

+55 11 96423-5137

Fale conosco no WhatsApp

Agende sua consulta

Agendamento online

Lesão de Ligamento Cruzado Anterior (LCA)

  • 7 de abril de 2020


O Ligamento Cruzado Anterior (LCA) é um dos principais estabilizadores da articulação do joelho.

O LCA encontra-se no ponto mais central da articulação, unindo o fêmur à tibia. Tem a função de estabilizar a articulação do joelho em dois planos, ântero-posterior e rotacional, permitindo as atividades de vida normal e principalmente a prática de esportes.

Lesão de LCA

A lesão do ligamento ocorre quando há entorse do joelho com o pé preso ao solo:
Quando uma pessoa, com o pé preso ao solo, torce internamente o corpo sobre o joelho, faz 3 movimentos em planos diferentes (o valgo, a flexão e a rotação da articulação).

No momento da lesão é frequente o relato de estalo audível, o estampido da ruptura do ligamento.

O que fazer em caso da suspeita dessa lesão?

  • Imediatamente suspenda a atividade física que esteja praticando. Em alguns casos, a pessoa não se sente totalmente incapacitada, e acaba continuando a atividade: novos entorses serão frequentes, o que leva à destruição de estruturas previamente saudáveis, e muitas vezes não recuperáveis, como a cartilagem e os meniscos;

  • Encontre um local confortável para se sentar, eleve a perna e coloque gelo por 30 minutos;

  • Em caso de muita dor faça uso de analgésicos;

  • Inicie o uso de gelo seriado, a cada duas horas 20 a 30 minutos de gelo, protegendo a pele com toalhas de algodão;

  • Ao deitar-se, evitar o uso de almofadas embaixo do joelho. É muito confortável mas pode prejudicar o arco de movimento da articulação. Ou seja, deve-se dormir com o joelho esticado;

  • Procure um médico especialista para fazer o diagnóstico e indicar o tratamento.

Tratamento: operar ou não operar?

Como ligamento é uma estrutura com pobre poder de cicatrização, a cirurgia de reconstrução do ligamento cruzado anterior é indicada na maioria dos casos de pacientes jovens e ativos, que sentem os sintomas da lesão, de modo a restabelecer a estabilidade e função da articulação.

Cerca de um terço dos esportistas tratados de modo não-cirúrgico (conservador) passa posteriormente pela intervenção cirúrgica, e uma grande parcela ainda necessita de cirurgia no menisco. Apenas 20% consegue retomar o mesmo nível de atividade de antes da lesão acontecer.

Contudo, em casos específicos de lesão parcial do ligamento, sem instabilidade e em idosos, o tratamento conservador pode ser a melhor opção, com o objetivo de ampliar a capacidade estabilizadora dinâmica do joelho, prevenindo falseios. Isso é feito com o ganho de força do músculo anterior da coxa (quadríceps) e melhora do equilíbrio, com exercícios proprioceptivos.

Se você sofreu entorse no joelho e perdeu a confiança na estabilidade da articulação ao realizar atividades esportivas ou cotidianas, procure o Núcleo de Medicina do Joelho da Clínica SOU.